Noticias

Índio e membro do Bolsa Família podem ter entrada grátis na Copa-2014

Índio e membro do Bolsa Família podem ter entrada grátis na Copa-2014

Brasília - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, defendeu nesta terça-feira que os beneficiários do Bolsa Família tenham acesso a entradas gratuitas para jogos da Copa do Mundo de 2014.

O texto da Lei Geral da Copa aprovado pela Câmara prevê apenas que os beneficiários de programas de transferência de renda tenham direito a ingressos do grupo quatro, que são mais barato e também contemplam os idosos e estudantes. Aldo defendeu ainda estender a gratuidade para indígenas em jogos realizados em Manaus e Cuiabá.

- Estamos trabalhando junto à Fifa para que pelo menos dois segmentos da população tenham ingresso especiais: os índios, principalmente na Amazônia, em Manaus e Cuiabá, e os beneficiários do Bolsa Família. Porque esses, nem a meia entrada resolve. Ganhar R$ 80, R$ 100 e achar que pode tirar disso para comprar ingresso na Copa, eu acho difícil - afirmou.

- Por mais barato que sejam, tem que ser alguma forma de doação de um certo número de ingressos para essa faixa da população - acrescentou.

O ministro comparou o preço dos ingressos populares da Copa ao cobrado nos torneios nacionais.

- O preço dos ingressos é controlado pela Fifa. Pelo que vi, os ingressos mais populares não têm uma diferença grande dos ingressos no torneio nacional. Vejo que um ingresso para um jogo do Palmeiras e Internacional ou qualquer outro clube que se realize em São Paulo tem preço compatíveis com esses preços que estão anunciando para a Copa do Mundo - acrescentou.

O projeto da Lei Geral da Câmara foi aprovada pela Câmara no mês passado e agora tramita no Senado. Mas o ministro disse que a questão não está sendo tratada com o Congresso, mas diretamente com os organizadores e patrocinadores da Copa. Também disse que ainda não foi definido o número de ingressos, mas destacou que há simpatia da Fifa pela ideia. Em relação aos índios, o texto aprovado pela Câmara diz apenas que os ingressos destinados a eles "serão objeto de acordo entre o Poder Público e a FIFA".

- Não há números definidos. Há apenas uma simpatia da Fifa e de parte dos organizadores, dos patrocinadores com quem conversei para encontrarmos uma solução.

Fonte: http://www.d24am.com

Voltar