Etnias

Kalapalo

Abrir vídeo

Cerimônias

Kalapalo

Cidade: Canarana/MT

A vida social nas aldeias Kalapalo, um dos quatro grupos de língua Karib que habita a região do Alto Xingu, englobada pelo Parque Indígena do Xingu, varia de acordo com as estações do ano. Na estação seca, que se estende de maio a setembro, a comida é abundante e é tempo de realizar rituais públicos, que costumam contar com muita música e a participação de membros de outras aldeias. Na estação chuvosa, a comida torna-se escassa e a aldeia fecha-se nas relações entre as casas e os parentes.



É central para a vida social um ideal de comportamento chamado ifutisu, que remete a um conjunto de argumentos éticos pelos quais os Kalapalo distinguem os povos do Alto Xingu de todos os outros seres humanos. Em um sentido mais geral, ifutisu pode ser definido como uma ausência de agressividade pública, como, por exemplo, ser habilidoso para falar em público e não provocar situações que causem desconforto aos outros e pela prática da generosidade, como a hospitalidade e a predisposição para doar ou partilhar posses materiais. Os Kalapalo acreditam que a viabilidade da sociedade depende do cumprimento desse ideal.



Cerimônia

Kuarup



Kuarup é um ritual dos grupos indígenas do Parque do Xingu para homenagear os mortos. Os troncos feitos da madeira “kuarup” são a representação concreta do espírito dos mortos ilustres. A festa corresponde a nossa cerimônia de finados, entretanto o Kuarup é uma festa alegre, afirmadora e exuberante, onde cada um coloca a sua melhor “vestimenta” na pele. Na visão dos índios, os mortos não querem ver os vivos tristes ou feios.

É uma cerimônia de mais profundo sentimento. É realizada por eles no mês de maio todos os anos e sempre em uma noite de lua cheia.



Fonte: Site Povos Indígenas no Brasil | Instituto Socioambiental

Voltar