Etnias

Bororo

Abrir vídeo

Cerimônias

Bororo

Cidade: Canarana/MT

O termo Bororo significa, na língua nativa, "pátio da aldeia". Não por acaso, a tradicional disposição circular das casas faz, do pátio, o centro da aldeia e espaço ritual desse povo, caracterizado por uma complexa organização social e pela riqueza de sua vida cerimonial. Os rituais são uma constante na vida dos Bororo. Os principais ritos de passagem (em que as pessoas passam de uma categoria social a outra) são o de nominação, iniciação e funeral.

Entre os Bororo, a unidade política é a aldeia (Boe Ewa), formada por um conjunto de casas dispostas em círculo, tendo no centro a casa dos homens (Baito). Ao lado oeste do Baito encontra-se a praça cerimonial, denominada Bororo, local das mais importantes cerimônias dessa sociedade. Mesmo nas aldeias em que as casas estão dispostas de modo linear por influência dos missionários ou agentes do governo, a circularidade da aldeia é considerada a representação ideal do espaço social e do universo cosmológico.



Na complexa organização social dos Bororo a classificação dos indivíduos é feita a partir de seu clã, da linhagem e do grupo residencial. A regra de descendência é matrilinear, de modo que, ao nascer, a criança receberá um nome que a identificará ao clã de sua mãe. Embora exista essa norma ideal de conduta, na prática ela pode ser manipulada para atender outros interesses.



Cerimônia

Festas Bororo



Os rituais são uma constante na vida dos Bororo. Os principais ritos de passagem, em que as pessoas passam de uma categoria social a outra, são o de nominação, iniciação e funeral. De acordo com Sylvia Caiuby Novaes, "No ritual de nominação a criança é formalmente introduzida na sociedade Bororo por seu iedaga, o nominador é o irmão da mãe, e as mulheres do clã do pai a ornamentam para o ritual.
Além do funeral e da nominação, os intensos rituais Bororo ainda incluem a perfuração das orelhas e do lábio inferior, a festa do milho novo, a preparação de caçadas e pescarias, as festas do couro da onça, do gavião real e do matador da onça, entre outros. Em todos esses casos, novas relações são sobrepostas às antigas, resultando numa configuração social em que os indivíduos mantêm relações provenientes de várias instâncias, com diferentes direitos, deveres, abordagens e formas de tratamento. A ênfase num ou noutro tipo de relação depende da situação social em que essas pessoas se encontram.



Fonte: Site Povos Indígenas no Brasil | Instituto Socioambiental

Voltar